As Melhores Histórias da Mitologia Egípcia – A.S. Franchini e Carmen Segranfredo

As Melhores Historias da Mitologia Egipcia - A.S. Franchini e Carmen Segranfredo

Quarto dos 36 livros na fila de espera.

Gosto das histórias mitológicas desde pequena, e até hoje qualquer coisa que envolva algum tipo de panteão ou monstros fantásticos me prende completamente.

Fora que, como jogo RPG (Role-Playing Game), fica mais fácil montar o background (a história) do personagem. Ainda mais quando se trata de um cenário que permita seres divinos e criaturas fantásticas.

Nesse livro, os autores trazem algumas das varias narrativas da mitologia egípcia, como o inicio do mundo, o nascimento dos deuses, a criação do Egito, etc.

Ele foi publicado em 2006 pela Editora L&PM (uma das minhas preferidas, já que os livros são, em geral, baratos e pequenos), e faz parte de uma série que objetiva mostrar ao publico brasileiro um pouco da mitologia das mais diversas culturas.

Confesso que o fator determinante para a compra desse livro foi conseguir o frete grátis, por que a leitura mesmo não me agradou muito, se eu tivesse lido há uns seis ou dez anos atrás, provavelmente teria sido mais divertido, ou, no mínimo, menos tedioso. (Está certo que queria leituras mais rápidas, mas dois dias já é brincadeira comigo!).

Meu “consolo” é saber que logo o trocarei por algum outro livro em um dos sebos que achei em Vitória, caso o contrário seria mais um dos exemplos de dinheiro jogado fora para a minha tão querida biblioteca.

Anúncios

Coleção Ramsés, de Christian Jacq

Coleção Ramsés

Publicado pela Bertand Brasil em 2007, e relançada para a coleção BestBolso em 2010, a série retrata, em 5 volumes, acontecimentos biográficos e fictícios da vida do Faraó Ramsés II, além de alguns costumes de vida dos egípcios desta época.

O primeiro livro, “O Filho da Luz”, o autor nos mostra parte da infância e da adolescência de Ramsés, estudos, amigos, amores e ambições típicas dessa faixa etária. Ele nos mostra também, a preparação do filho mais novo do faraó Sethi, para comandar um dos países mais famosos da antiguidade. Aqui é retratado o surgimento da amizade (e da cumplicidade) entre Ramsés e alguns dos personagens mais determinantes para o sucesso do futuro faraó: Ameni, escriba infatigável e de incrível eficiência; Satou, que se dedica ao estudo das serpentes e de seus venenos; Acha, exímio diplomata e Moisés, hebreu nascido no Egito, é um dos responsáveis pela construção de Pi-Ramsés,a cidade turquesa, e o seu casamento com Nefertari.

No segundo volume, “O Templo de Milhões de Anos”, Ramsés, já coroado, inicia seu reino tendo que vencer diferentes complôs que se instauram contra ele, provando sua autoridade e competência ao povo e seus inimigos, apoiado por Nefertari, sua esposa, por sua mãe Touya, e a sólida rede de amigos tecida desde a adolescência.

Em “A Batalha de Kadesh”, Ramsés batalha contra dois perigosos e poderosos inimigos: o temível exército hitita e o efeito da magia que tira a vida da esposa real Nefertari. Os inimigos de Ramsés tecem uma teia de espionagem para fomentar o ódio dos inimigos contra o povo egícipcio. Sozinho no campo de batalha, o faraó apela para os deuses protetores do Egito.

“A Dama de Abu-Simbel”, quarto livro da séria, retrata o retorno de Moisés ao Egito para exigir do faraó autorização para o êxodo hebreu e a negociação com o povo hitita na busca em busca da paz entre os dois reinos. Essa parte em especial me fez lembrar bastante o filme “O príncipe do Egito”, filme lançado pela em 98. É como se você estivesse vendo os mesmos acontecimentos sobre óticas diferentes. Ele também mostra a construção de um dos templos mais famosos do Antigo Império Egípcio, o templo de Abu-Simbel.

“Sob a Acácia do Ocidente” fecha a série com a morte de Ramsés, aos 89 anos, após quase 65 anos de reinado.

O interessante sobre a série é que Christian Jacq, sendo um egiptólogo especializado no reinado de Ramsés, consegue retratar o cotidiano do Faraó com uma narrativa muito gostosa de ler, com detalhes na medida certa sem deixar de mostrar a riqueza da época que foi considerada a mais prodigiosa do Império Novo, fora que a maior parte das construções retratadas na obra ainda está de pé, o que aumenta ainda mais a vontade de pegar um avião e conhecer todo esse cenário ao vivo.

O preço é bastante acessivo, no Submarino, a coleção completa ficou por volta de R$ 80 reais.

As múmias vivas (Mummies Alive!)

As mumias vivas

A história tem inicio no antigo Egito, quando o feiticeiro Scarab mata o Príncipe Rapses, o filho do Faraó. Almejando a imortalidade, o malfeitor é enterrado vivo despertando milhares de anos depois, em uma época de modernidade. Com a conquista da liberdade, Scarab passa a procurar a reencarnação do príncipe, um jovem de São Francisco chamado Presley Carnovan para finalizar o que começou durante a antiguidade, aniquilar por completo a dinastia real do Egito, e tomar a alma do príncipe para conseguir a juventude eterna.

Mas o garoto não está sozinho, Presley conta com a ajuda dos cinco guardiões designados à proteção da alma do príncipe e também responsáveis por evitar os planos malignos de Scarab. Os defensores são Ja-Kal (o meu preferido), Rath, Armon, Nefer-Tina e o gato Kahti, que volta do mundo dos mortos para cumprir sua missão. Invocando os poderes do deus Rá, os guardiões assumem formas de deuses do antigo Egito, e os espíritos de falcão, cobra, carneiro e gato concedem armaduras mágicas para os heróis que além de ter que derrotar o feiticeiro Scarab, tem de lutar contra forças malignas e ocultas das areias, como é o caso dos deuses tiranos Anubis, Set e Sekhmet.

Criado em 1997, As múmias vivas (Mummies alive!) é um dos primeiros desenhos que me lembro de ter assistido. Lembro-me de que foi nessa época que comecei a me interessar por histórias mitológicas.

Procurei durante anos os episódios, e somente achei ano passado graças a uma loja DVDs especializada em animes, cartoons, series e doramas. Pra quem quiser conferir a loja é a http://www.mestredoanime.com.

Recentemente descobri que esse cartoon possui 46 episódios… E que somente 23 foram exibidos aqui no Brasil. T.T