Semana 6 – Livro que eu Larguei pela Metade

Semana 6

Poesias de Álvaro de Campos, de Fernando Pessoa.

Eu tive que ler esse livro no ultimo ano que fiz pré-vestibular, em 2010, e acabei comprando para não ficar dependendo de disponibilidade da biblioteca da escola… Ele está até hoje para ser acabado e com um monte de página marcada indicando que tem vocabulário desconhecido. ¬¬

Eu não sou muito fã de poemas, a muito custo terminei Romanceiro da Inconfidência (Cecília Meireles), e estou juntando coragem (e paciência) pra ler A Divina Comédia há uns bons três (ou quatro) anos. Na mesma época eu comprei Marília de Dirceu e uma antologia poética de Gregório de Matos e foi só para trocar no sebo no ano seguinte, por que ler mesmo, não devo ter passado da página 15.

Anúncios

As Melhores Histórias da Mitologia Egípcia – A.S. Franchini e Carmen Segranfredo

As Melhores Historias da Mitologia Egipcia - A.S. Franchini e Carmen Segranfredo

Quarto dos 36 livros na fila de espera.

Gosto das histórias mitológicas desde pequena, e até hoje qualquer coisa que envolva algum tipo de panteão ou monstros fantásticos me prende completamente.

Fora que, como jogo RPG (Role-Playing Game), fica mais fácil montar o background (a história) do personagem. Ainda mais quando se trata de um cenário que permita seres divinos e criaturas fantásticas.

Nesse livro, os autores trazem algumas das varias narrativas da mitologia egípcia, como o inicio do mundo, o nascimento dos deuses, a criação do Egito, etc.

Ele foi publicado em 2006 pela Editora L&PM (uma das minhas preferidas, já que os livros são, em geral, baratos e pequenos), e faz parte de uma série que objetiva mostrar ao publico brasileiro um pouco da mitologia das mais diversas culturas.

Confesso que o fator determinante para a compra desse livro foi conseguir o frete grátis, por que a leitura mesmo não me agradou muito, se eu tivesse lido há uns seis ou dez anos atrás, provavelmente teria sido mais divertido, ou, no mínimo, menos tedioso. (Está certo que queria leituras mais rápidas, mas dois dias já é brincadeira comigo!).

Meu “consolo” é saber que logo o trocarei por algum outro livro em um dos sebos que achei em Vitória, caso o contrário seria mais um dos exemplos de dinheiro jogado fora para a minha tão querida biblioteca.