Fruits Basket (Mangá)

Fruits Basket

Escrito e ilustrado Natsuki Takaya, esse shoujo foi publicado entre 1999 e 2006. Em 2001, a história ganhou uma adaptação para anime (que por sinal, eu ainda não vi).

Carinhosamente chamada de Furuba, a série conta a história de Tohru Honda, uma garota órfã que, depois de encontrar Yuki, Kyo e Shigure Sohma, descobre que os treze membros da família Sohma são possuídos pelos animais do zodíaco Chinês e são amaldiçoados a se transformar em suas formas animais quando estão fracos ou quando são abraçados por alguém do sexo oposto que não esteja possuído por um espírito.

user93453_pic109975_1230244731Segundo uma antiga lenda chinesa, Buda convidou todos os animais da criação para uma festa de Ano Novo, prometendo uma surpresa a cada um dos animais. Apenas doze animais compareceram e ganharam um ano de acordo com a ordem de chegada: o Rato; o Boi, o Tigre; o Coelho; o Dragão; a Serpente; o Cavalo; o Carneiro; o Galo; o Macaco; o Cão e o Javali. Mas e o décimo-terceiro membro? Esse seria o gato, de acordo com a lenda, ele e o rato combinaram de irem juntos a festa, mas o rato acordou atrasado e esqueceu-se de chamar seu amigo gato, indo sozinho para a festividade.

Eu li a história quando o mangá foi publicado no Brasil graças à Rafaella, que me emprestava para ler depois que ela terminava. De fato, acho que foi o primeiro mangá que eu li, e foi uma luta para seguir as falas direitinho. Essa é uma das poucas coleções que eu queria ter na minha estante, a história é gostosa de se ler e parece que não perde seu encanto, mesmo você já conhecendo a sequência dos fatos, você ri com se estivesse lendo pela primeira vez.

fb10Apaixonei-me pela história de cara, principalmente do Shigure (*-*), fiquei doida de amores pelo Hatsuharo, pelo Ayame, Hatori e pelo Momiji, odiei a personagem no meu signo (sou do ano do Cavalo) e odiei mais ainda o final que deram pro Shigure (ódio eterno por aquela coisa que chamam de Akito). A partir de Fruits Basket comecei a querer desenhar, sim, querer, por que o máximo que consegui foi fazer algumas ampliações, que, segundo dizem, ficaram até bonitas.

Graças à Central de Mangás Online, pude relembrar uma parte muito gostosa da minha adolescência, infelizmente o mangá está incompleto, mas como eu já dei uma sorte danada de tê-lo achado, não vale muito a pena reclamar (não muito).

If It Started With a Kiss

If It Started With a Kiss

Adaptação taiwanesa do mangá de Kaoru Tada, Itazura na Kiss. (Como ainda não consegui lê-lo, estou me baseando no anime).

Exibida em 2005, o dorama ficou muito próximo (ou igualou) a proposta do anime, o elenco foi bem escolhido e o casal principal mostrou uma sintonia muito boa, o que fez a historia ficar ainda melhor. Os eventos principais foram mantidos e alguns personagens e acontecimentos foram acrescentados à trama, mas nada que atrapalhasse muito fluir da série.

Na verdade, If It Started With a Kiss mostra apenas metade dos acontecimentos do anime, a outra metade será mostrada na 2ª temporada, They Kissed Again, que esta sendo produzida (e traduzida) atualmente.

Por sinal, essa divisão fez com que eu gostasse ainda mais do dorama. Graças a ela os acontecimentos ficaram com a evolução certa. Nada precisou ser atropelado e o último episódio ficou como deveria ser: o fechamento de uma fase criando expectativas para a etapa seguinte.

Skip Beat! (Anime)

Skip Beat2

Skip Beat! é uma adaptação do mangá de mesmo nome criado por Yoshiki Nakamura e publicado em 2002. O anime começou a ser exibido em outubro de 2008 na TV Tokyo, fechando a temporada com 25 episódios. Em 2011, a história ganhou uma versão em Dorama, mas esse é um assunto para outro post.

Kyoko Mogami sempre foi apaixonada por Shoutarou Fuwa, o filho único do casal que a acolheu após sua mãe ter ido embora. Desde pequena, ela era ensinada para se tornar a esposa de Shoutarou e apoiá-lo quando ele conduzisse os negócios da família. Ao descobrir os planos que seus pais tinham para ele, Shou decide ir para Tóquio levando Kyoko consigo.

Até ai Kyoko é a submissão em pessoa: ela trabalha dia e noite para sustentar um apartamento de luxo para ele, cozinha, lava, passa, sempre imaginando que Show a ama tanto quando ela o ama. Um dia Kyoko acidentalmente descobre através de uma conversa entre ele e sua assessora que Shoutarou só a trouxe para ser sua empregada, e todas as humilhações e menosprezos que ele cometeu contra ela vem à tona e abrem uma (literal) Caixa de Pandora que a mudará completamente.

Mas como se vingar de um astro megafamoso?

Resposta: entrando no show business. Mas a ao fazer o teste para uma agência, ela descobre que perdeu o sentimento mais nobre e mais necessário nesse ramo: o amor. Ela é então colocada pelo presidente da agência (que é um daqueles personagens que, apresar de serem somente coadjuvantes, são um show a parte) numa nova seção criada para pessoas com essa dificuldade, a seção “Love Me”.

A partir daí, ela começa a trilhar o longo caminho até o estrelato, conhecendo novas pessoas, amigos, inimigos, e recuperando velhos sentimentos. Além de descobrir um incrível talento.

Skip Beat é um daqueles animes que você assiste a 9 ou 10 episódios e nem percebe, de tão empolgada que você fica. Para vocês terem uma idéia de como eu fiquei, quando o ultimo episodio acabou eu quase quebrei a televisão (estava assistindo em DVD) quando descobri que a segunda temporada do anime não tem nem confirmação. Definitivamente, é um daqueles finais que você fica com tanta raiva, mas com tanta raiva, que dá ate vontade de chorar de tanta vontade de ver o próximo episodio.

Esse está,sem duvida alguma,  no topo dos melhores shoujos (romance) que eu já vi. Eu sei que já falei isso de Itazura na Kiss, mas apesar se serem ambos comedias românticas, a protagonista e o enredo dos animes são completamente diferentes.

Boys Before Flowers

Boys Before Flowers

Boys Before Flowers é um drama sul-coreano transmitido pela emissora KBS em 2009. Ele é baseado no mangá HanaYoriDango, escrito por Yoko Kamio.

A história gira em torno de Geum Jan Di (KooHye Sun), uma garota da classe média, que ajuda seus pais na lavanderia da família. Não é uma garota rebelde e nem gosta de criar confusões, mas quando é para ajudar seus amigos ou não deixar que a humilhem, faz o que é preciso pra se defender.

Certo dia, enquanto levava a roupa de um estudante da Escola Shinhwa (considerada a melhor do país) ela sem querer salva o dono do uniforme do suicídio. Por tal ato ela ganha uma bolsa de estudos nessa mesma escola, algo que ninguém nunca havia imaginado antes, já que é uma escola de elite e apenas para a nata da sociedade (ouso dizer que ela é destinada para a nata entre a nata da sociedade). De início ela não aceita a proposta, mas pela pressão da família, ela acaba cedendo, sem saber o que lhe espera.

Nessa escola, quem faz as maiores doações dita as regras, e, nesse caso são os quatro garotos conhecidos como F4:

  • Goo Jun Pyo (Lee Min Ho): Líder do F4, é o mais mimado e egoísta de todos, e é o que tem personalidade mais forte também. Sua família é dona do maior conglomerado da Coréia do Sul. É ele um dos responsáveis por fazer da vida de Jan Di um martírio.
  • Yoon Ji Hoo (Kim Hyun Joong): Melhor amigo de Goo Jun Pyo, ele é neto do ex-presidente da Coreia do Sul. Ao longo do dorama ele desenvolve sentimentos pela Jan Di, se contentando em ser um balsamo para ela diante das armações da turma do contra. Ji Hoo possui uma personalidade tranquila, faz o tipo companheiro para todas as horas e é uma das poucas pessoas que conseguem parar JunPyo.
  • So Yi Jung (Kim Bum): Sua família é dona do maior museu de arte do país, alem de ser um grande artista plástico. É o mulherengo do grupo, sendo conhecido por conseguir fazer uma garota se apaixonar em 5 segundos.
  • Song Woo Bin (Kim Joon): Sua família é dona de uma grande empresa de construção e tem conexões importantes com uma grande máfia. Ele é do tipo que defende seus amigos com todas as forças se necessário.

Os personagens básicos da trama são esses, mas antes de encerrar este post preciso fazer mais 3 apontamentos sobre o dorama:

  1. Para vocês terem uma ideia do tamanho do sucesso alcançado por Hana Yori Dango, além de ser adaptado para anime, ele também virou dorama no Japão, na Coreia do Sul e em Taiwan. O mangá ainda é considerado uns dos romances mais vendidos do Japão, e olha que ele foi lançado em 2003;
  2. Deixe de lado todas as suas concepções de riqueza, porque quando se trata do F4, ilhas paradisíacas são só o começo da conversa;
  3. A trilha sonora desse dorama é uma das melhores que eu já ouvi. O curioso é que 80% delas são da boyband SS501, do ator Kim HyunJoong. Quem tiver curiosidade, vale a pena conferir.